Debate historiográfico argentino e a construção da questão indígena

Autores

  • Ivia Minelli Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)

DOI:

https://doi.org/10.46752/anphlac.11.2011.1283

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar a construção da representação indígena no pensamento argentino. A partir de um recorte dos anos 1960 até os dias atuais, propõe-se a mapear as transformações e as permanências argumentativas que estudiosos do tema evidenciaram no resgate desse ser autóctone, tanto em relação às balizas teóricas remanescentes dos discursos independentistas do século XIX, quanto aos diálogos estabelecidos nas últimas décadas que buscaram exaltar um ente esquecido pela história nacional. Foram, para isso, concentradas três categorias discursivas sobre o indígena: o índio vítima, o derrotado e o a-histórico. Acredita-se que o trato dado à história indígena na Argentina se configura mediante a presença de uma cultura política que permeia o pensamento histórico do país, revelando o poder argumentativo do imaginário pós-independentista e a forte significação da sociedade criolla para os séculos conseguintes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-02-13

Como Citar

Minelli, I. (2012). Debate historiográfico argentino e a construção da questão indígena. Revista Eletrônica Da ANPHLAC, (11), 105-140. https://doi.org/10.46752/anphlac.11.2011.1283