A (des)construção de um conflito: o “nacional” e o “cosmopolita” em Borges.

Autores

  • Paulo Renato da Silva Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA)

DOI:

https://doi.org/10.46752/anphlac.12.2012.1330

Resumo

O objetivo do artigo é retomar o debate sobre o caráter “nacional” e/ou “cosmopolita” atribuído ao escritor argentino Jorge Luis Borges (1899-1986) e sua obra. O artigo analisa a crítica literária, sobretudo a argentina, e as percepções de outros sujeitos político-culturais do país entre as décadas de 1930 e 1950. Apontamos que já era assinalado o “cosmopolitismo” na obra inicial do escritor, tradicionalmente definida como “nacional” e/ou “nacionalista”. Nota-se, também, que a etapa posterior de sua obra, considerada “cosmopolita”, não desencadeou uma imediata percepção de ruptura com o “nacional”, inclusive entre setores nacionalistas ligados ao peronismo, diferentemente da visão que se consolidou a partir da queda de Perón em 1955.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo Renato da Silva, Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA)

Doutor em História pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e professor da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA)

Downloads

Publicado

2012-12-04

Como Citar

da Silva, P. R. (2012). A (des)construção de um conflito: o “nacional” e o “cosmopolita” em Borges. Revista Eletrônica Da ANPHLAC, (12), 33-53. https://doi.org/10.46752/anphlac.12.2012.1330