Confrarias de Buenos Aires: resistência e desintegração cultural

Autores

  • Álvaro de Souza Gomes Neto

DOI:

https://doi.org/10.46752/anphlac.3.2003.1349

Resumo

As irmandades ou confrarias eram corporações que serviam como instrumentos ou veículos para a consolidação do cristianismo, enquanto representante da ideologia dominante. Ao mesmo tempo, eram lugares de resistência social e de dissolução cultural da população negra da Buenos Aires do século XVIII. Essas confrarias eram pontos de encontros, espaços de sociabilidade, de definição de identidades grupais, de apoio material
e solidariedade entre seus membros de origem africana. Contudo, eram também pontos de dissolução do negro enquanto cultura sem a influência branca. As irmandades evidenciaram as dificuldades das relações entre as populações branca e negra, na Buenos Aires do período colonial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

Gomes Neto, Álvaro de S. (2013). Confrarias de Buenos Aires: resistência e desintegração cultural. Revista Eletrônica Da ANPHLAC, (3), 26-49. https://doi.org/10.46752/anphlac.3.2003.1349