Utopia, compaixão e liberdade em Leonardo Padura

Autores

  • Maria Analice Pereira da Silva Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

DOI:

https://doi.org/10.46752/anphlac.21.2016.2483

Resumo

Utopia, compaixão e liberdade em Leonardo Padura

 

 

RESUMO:

 

 

            Entre os dois romances de Leonardo Padura – O homem que amava os cachorros e Hereges – há pontos de contato, tanto no que se refere aos temas, quanto a alguns dos personagens. O objetivo desse artigo é, portanto, desenvolver uma análise-interpretação desses romances, partindo da discussão acerca de temas primordiais neles desenvolvidos e que são, em linhas gerais, os seguintes: o tema da compaixão, no primeiro romance – por meio da voz narrativa; o tema da liberdade, no segundo – por meio das ações dos personagens. Ambos os romances são ambientados em Cuba e se aproximam, também, quanto à época da História da Ilha neles representada: incluindo-se o período revolucionário, chegando até os anos 2000. O destaque para os temas da compaixão e da liberdade tem a ver, sobretudo, com esse espaço-tempo desenvolvido nos romances, como parte essencial de suas arquiteturas narrativas.

 

Palavras-chave: Cuba; história; romance. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Analice Pereira da Silva, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Coordenação de Linguágens, Códigos e suas Tecnologias

Coordenação do Curso de Letras a Distância

Downloads

Publicado

2016-06-27

Como Citar

Pereira da Silva, M. A. (2016). Utopia, compaixão e liberdade em Leonardo Padura. Revista Eletrônica Da ANPHLAC, (21), 66-89. https://doi.org/10.46752/anphlac.21.2016.2483