“O que é normal e o que é louco?” A vida com transtorno bipolar na autobiografia em quadrinhos Parafusos de Ellen Forney

Autores

  • Yonissa Marmitt Wadi Professora Associada da Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Diego Luiz dos Santos Universidade Estadual do Oeste do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.46752/anphlac.24.2018.2948

Resumo

Parafusos: Mania, Depressão, Michelangelo e Eu, escrito e desenhado pela quadrinista estadunidense Ellen Forney, é uma autobiografia em quadrinhos na qual a autora narrou sua vida após ser diagnosticada com transtorno bipolar. A maior parte do enredo se passa entre 1998, ano do diagnóstico, e 2002, quando afirma ter alcançado “equilíbrio emocional”. O objetivo deste texto, inserido no campo da história da loucura e da psiquiatria, foi problematizar a narrativa de Ellen, no sentido de compreender suas próprias problematizações sobre a experiência com a loucura, especialmente a classificação de sua subjetividade pelo diagnóstico, sua busca por alternativas ao tratamento psiquiátrico medicamentoso, sua aceitação deste e a relação entre loucura e criatividade artística. Concluímos que a quadrinista teve uma dupla intenção ao transformar sua experiência em livro: uma de caráter pedagógico, que visou oferecer informações e companhia aos leitores que conviviam com o sofrimento; outra, de caráter terapêutico, que contribuiu para lidar com seu próprio sofrimento, construindo, assim, um novo sentido para seu presente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Yonissa Marmitt Wadi, Professora Associada da Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Doutora em História pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e Professora Associada da Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE, atuando no curso de graduação em Ciências Sociais e nos Programas de Pós-Graduação em História, Poder e Práticas Sociais e em Ciências Sociais. Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq. Membro da Red Iberoamericana de História da Psiquiatria, do  Grupo de Pesquisa História, Cultura e Sociedade e do Grupo de Pesquisa História Cultural. Vice-líder do Grupo de Pesquisa Cultura, Relações de Gênero e Memória. Consultora e parecerista do CNPq, da Fundação Araucária de Pesquisa - PR e da Funcap - CE e de diversos periódicos científicos nacionais e internacionais. Atua na área de História, com ênfase em História Cultural e História das Ciências, principalmente nas seguintes temáticas: história da loucura e da psiquiatria, saúde e doença, gênero, história das mulheres, violência, auto-violência e crime, memória e escrita de si. É autora de Palácio para guardar doidos: uma história das lutas pela construção do hospital de alienados e da psiquiatria no Rio Grande do Sul (Ed. da Universidade / UFRGS, 2002), A História de Pierina: subjetividade, crime e loucura (EDUFU, 2009), organizadora de  Instituições de Assistência Psiquiátrica do Paraná - Inventário (Ed.UNICENTRO; EDUNIOESTE, 2012), Narrativas sobre loucuras, sofrimentos e traumas (Máquina de Escrever, 2016) e co-organizadora, com Nádia M. W. Santos, de História e Loucura: saberes, práticas e narrativas (EDUFU, 2010), além de diversos capítulos de livros e artigos publicados em periódicos científicos nacionais e internacionais.

Diego Luiz dos Santos, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Licenciado em História pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (2014) e mestre em História, Poder e Práticas Sociais (2017) pela mesma instituição. Tem experiência em pesquisas nos campos da História Cultural e História das Ciências, com destaque para a História da Loucura e da Psiquiatria.

Referências

ALBERTI, Verena. Literatura e autobiografia: a questão do sujeito na narrativa. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 4, no 7, 1991, p. 66-81.

ARFUCH, Leonor. O espaço biográfico: dilemas da subjetividade contemporânea. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2010.

ARTIÈRES, Philippe. Arquivar a própria vida. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 11, no 21, 1998a.

ARTIERES, Philippe. Clinique de l’écriture. Une histoire du regard médical sur l’écriture. Paris: Institut Synthélabo (Col. Les Empêcheurs de penser en rond), 1998b.

AZEVEDO, Cecília T. Em nome da América: Os Corpos da Paz no Brasil. São Paulo: Alameda. 2007.

BEASON, Tyrone. Alt comics artists take us to Seattle’s rough edges. Seattle: The Seattle Times, 2014. Disponível em: http://www.seattletimes.com/pacific-nw-magazine/alt-comics-artists-take-us-to-seattles-rough-edges/ Acesso em: 30 out. 2017.

BELLO, Grace. Page Turner: Ellen Forney - The bisexual cartoonist’s memoir Marbles graphically portrays her bipolar disorder. San Francisco: Curve, 2012a. Disponível em: http://www.curvemag.com/Curve-Magazine/Web-Articles-2012/Page-Turners-Ellen-Forney/ Acesso em: 29 out. 2017.

BELLO, Grace. The bipolar Cartoonist: Ellen Forney’s ‘Marbles’. New York: PW - Publishers Weekly, 2012b. Disponível em: http://www.publishersweekly.com/pw/by-topic/authors/profiles/article/54604-the-bipolar-cartoonist-ellen-forney-s-marbles.html Acesso em: 29 out. 2017.

BENEDETTI, Winda. Seattle cartoonist Ellen Forney embraces our oddities. Seattle: Seattle PI, 2006. Disponível em: https://www.seattlepi.com/ae/books/article/Seattle-cartoonist-Ellen-Forney-embraces-our-1211019.php Acesso em: 30 out. 2017.

BERRIOS, German E. Transtornos do Humor: Seção Clínica - I. In: BERRIOS, German E.; PORTER, Roy (Orgs.). Uma História da Psiquiatria Clínica - II: A origem e a história dos transtornos psíquicos. As Psicoses Funcionais. Rio de Janeiro: Editora Escuta. 2012, p. 599-632.

BIRMAN, Joel. Drogas, performance e psiquiatrização na contemporaneidade. Ágora, Rio de Janeiro, v. 17, no esp., 2014, p. 23-37.

CHARTIER, Roger. O poder, o sujeito, a verdade: Foucault leitor de Foucault. In: CHARTIER, Roger. À beira da falésia: a História entre certezas e inquietudes. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS, 2002, p. 181-198.

CHEVALIER, Jean; SUSSEKIND, Carlos. (Coords.). Dicionário de símbolos: Mitos, sonhos, costumes, gestos, formas, figuras, cores, números. 16a ed., Rio de Janeiro: J. Olympio, 2001.

CHUTE, Hillary. Graphic women: life narrative and contemporary comics. New York: Columbia University Press, 2010.

CLASTRES, Pierre. A Sociedade contra o Estado: investigações de antropologia política. Porto: Edições Afrontamento, 1979.

CUNNINGHAM, Darryl. Psychiatry Tales. Londres: Bloomsburry Publishing, 2011.

FORNEY, Ellen. Monkey Food: the complete “I Was Seven in '75” collection. Seattle: Fantagraphics Books, 1999.

FORNEY, Ellen. I Love Led Zeppelin: panty-dropping comics. Seattle: Fantagraphics Books, 2006.

FORNEY, Ellen. Lust: Kinky Online Personal Ads from Seattle's The Stranger. Seattle: Fantagraphics Books, 2008.

FORNEY, Ellen. Marbles: mania, depression, Michelangelo and me. Nova York: Ghotam Books, 2012a.

FORNEY, Ellen. 9 Dream Jobs That Actually Pay: Ellen Forney, graphic novelist. [23 nov. 2012] New York: Time, 2012b. An interview given to Anita Hamilton. Disponível em: http://business.time.com/2012/11/27/9-dream-jobs-that-actually-pay/slide/ellen-forney-graphic-novelist/ Acesso em: 30 jan. 2016.

FORNEY, Ellen. It’s your Story: An interview with Ellen Forney. [10 mar. 2013]. New York: Rookie, 2013. An interview given to Danielle Henderson. Disponível em: http://www.rookiemag.com/2013/10/an-interview-with-ellen-forney/ Acesso em: 01 fev. 2016.

FORNEY, Ellen. Parafusos: mania, depressão, Michelângelo e eu. São Paulo: Martins Fontes, 2014.

FORNEY, Ellen. Life unlimited stories. DBSA - Depression and Bipolar Support Alliance. Chicago: DBSA, 2016. Disponível em: https://secure2.convio.net/dabsa/site/SPageServer/?pagename=peer_life_unlimited3 Acesso em: 10 fev. 2017.

FOUCAULT, Michel. A História da Loucura na Idade Clássica. 2a ed., São Paulo: Editora Perspectiva, 1989.

FOUCAULT, Michel. Resumo dos cursos do Collège de France (1970-1982). Rio de Janeiro: Zahar, 1997.

FOUCAULT, Michel. Polêmica, política e problematizações. In: FOUCAULT, Michel. Ditos e escritos V: Ética, sexualidade, política. 2a ed., Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006a, p. 225-233.

FOUCAULT, Michel. O cuidado com a verdade. In: FOUCAULT, Michel. Ditos e escritos V: Ética, sexualidade, política. 2a ed., Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006b, p. 240-251.

GOIDANISH, Hiron C.; KLEINERT, André. Enciclopédia dos Quadrinhos. Porto Alegre: L&PM, 2011.

HATFIELD, Charles. Alternative Comics: an emerging literature. Jackson: University Press of Mississippi, 2005.

HEALY, David. Mania: A short history of bipolar disorder. Baltimore: The Johns Hopkins University Press, 2008.

HOFF, P. Kraepelin: Seção Clínica - I. In: BERRIOS, G. E.; PORTER, R. (Orgs.). Uma História da Psiquiatria Clínica - II: A origem e a história dos transtornos psíquicos. As Psicoses Funcionais. Rio de Janeiro: Editora Escuta. 2012, p. 431-456.

HUERTAS, Rafael. Historia Cultural de la Psiquiatría: (Re)pensar la Locura. Madrid: Catarata, 2012.

JAMISON, Kay R. Touched with Fire: Manic-Depressive Illness and the Artistic Temperament. New York: The Free Pass, 1994.

JOLY, Martine. Introdução à análise da imagem. Lisboa: Edições 70, 2007. E-book. ISBN: 978-972-44-1389-1. Disponível em: https://flankus.files.wordpress.com/2009/12/introducao-a-analise-da-imagem-martine-joly.pdf Acesso em: 30 mar. 2018.

KLEIN, Sarah. What bipolar disorder really feels like? Huffington Post. 2014. Disponível em: http://www.huffingtonpost.com/2014/09/18/bipolar-disorder-ellen-forney_n_5823138.html Acesso em: 10 jun. 2016.

LEADER, Darian. Simplesmente bipolar. São Paulo: Zahar, 2015. E-Book. ISBN: 978-85-378-1417-8.

LEAVITT, Sarah. Tangles: a story about alzheimer’s, my mother, and me. New York: Skyhorse Publishing, 2012.

LEJEUNE, Philippe. O pacto autobiográfico: de Rousseau à Internet. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2008.

LINS, Carlos. A. C. E. Quadrinhos autobiográficos: a verdade representada pelo cartunista. Monografia (Graduação em Comunicação Social) - Universidade de Brasília. Brasília-DF, 2012.

McCLOUD, Scott. Desvendando os quadrinhos. São Paulo: Makron Books, 2005.

Memoir. In: MICHAELIS: Dicionário inglês-português online. Melhoramentos. 2017. Disponível em: http://michaelis.uol.com.br/busca?r=1&f=1&t=0&palavra=memoir Acesso em: 08 fev. 2017.

Memory. In: MICHAELIS: Dicionário inglês-português online. Melhoramentos. 2017. Disponível em: <http://michaelis.uol.com.br/busca?id=Nbb0Q>. Acesso em: 08 fev. 2017.

National Association for the Advancement of Psychoanalysis - NAAP. Gradiva Awards. Disponível em: https://naap.org/portfolio/gradiva-award/ Acesso em: 02 fev. 2017.

OLINTO, Beatriz A.; FROTSCHER, Méri. Narrativas de sofrimento, narrativas de formação: reflexões sobre a autobiografia de uma refugiada da Segunda Guerra Mundial. In: WADI, Yonissa M. (Org.). Narrativas sobre loucuras, sofrimentos e traumas. Curitiba: Ed. Máquina de Escrever, 2016, p. 203-233.

PACKER, Sharon. Comics and Medicine: A conference… or a movement? Diagnostic imaging. 2014. Disponível em: http://www.diagnosticimaging.com/cultural-psychiatry/comics-and-medicine-conference%E2%80%A6or-movement Acesso em: 22 fev. 2017.

PASCUALI, Daniele C. S. Gênero graphic novel: histórias para uma nova geração de leitores. 130 p. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 2017.

PORTER, Roy. Madness: a brief history. Oxford: Oxford University Press, 2002.

PORTER, Roy. The Patients View: doing medical history from below. Theory and Society, London, v. 14, no 02, p. 175-198, 1985.

RÍOS-MOLINA, Andrés. Locos letrados frente a la psiquiatría mexicana a inicios del siglo XX. Frenia. Revista de Historia de la Psiquiatría, Madrid, v. 4, no 2, p. 17-35, 2004.

ROSENTHAL, Gabriele. História de vida vivenciada e história de vida narrada: a interrelação entre experiência, recordar e narrar. Civitas, Porto Alegre, v. 14, no 2, p. 227-249. 2014.

RUSSO, Jane; VENANCIO, Ana T. A. Classificando as pessoas e suas perturbações: a “revolução terminológica” do DSM III. Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental, São Paulo, no 9, v. 3, 2006, p. 460-483.

SANTOS, Diego Luiz dos. “Eu era, oficialmente, uma artista louca”: uma análise da autobiografia em quadrinhos de Ellen Forney. 165 p. Dissertação (Mestrado em História, Poder e Práticas Sociais) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná. M. C. Rondon, 2017.

SANTOS, Roberto E. Aspectos da linguagem, da narrativa e da estética das histórias em quadrinhos: convenções e rupturas. In: VERGUEIRO, Waldomiro; SANTOS, Roberto E. (Orgs.). A linguagem dos Quadrinhos: estudos de estética, linguística e semiótica. São Paulo: Ed. Criativo, 2015, p. 22-47.

SHORTER, Edward. Before Prozac: the troubled history of mood disorders in Psychiatry. Oxford: Oxford University Press, 2009.

SOUZA JUNIOR, Juscelino N. O discurso autobiográfico nos quadrinhos: uma arqueologia do eu na obra de Robert Crumb e Angeli. 202 p. Tese (Doutorado em Ciências da Comunicação) - Escola de Comunicação e Artes, Universidade de São Paulo. São Paulo, 2014.

VEYNE, Paul. Como se escreve a história. Foucault revoluciona a história. 4ª Ed., Brasília: EdUnB, 1998.

WADI, Yonissa M. Entre muros: os loucos contam o hospício. Topoi, Rio de Janeiro, v. 12, n. 22, 2011, p. 250-269.

WADI, Yonissa M. “Eu gostaria que estas cartas fossem tudo num jornal, para todo o povo saber...”: a escrita epistolar como fonte para a história da loucura. In: FRANCO, Sebastião Pimentel; NASCIMENTO, Dilene Raimundo do; SILVEIRA, Anny Jackeline Torres. Uma história brasileira das doenças. Belo Horizonte: Fino Traço, 2016, v. 6, p. 73-98.

WADI, Yonissa M.; ZARA, Telma B. M. Problematizando o mundo: vida institucional e subjetivação no “falatório” de Stela do Patrocínio. In: WADI, Yonissa M. (Org.). Narrativas sobre loucuras, sofrimentos e traumas. Curitiba: Ed. Máquina de Escrever, 2016, p. 65-91.

WILLIAMS, Ian. Graphic medicine. Hektoen International, Chicago, v. 4, n. 1, 2012. Disponível em: http://www.hektoeninternational.org/index.php?option=com_content& view=article&id=353:graphic-medicine&catid=93&Itemid=716 Acesso em: 08 jun. 2016.

ZOUVI, Aline A. A performance autobiográfica nos quadrinhos: um estudo de Alison Bechdel. Dissertação (Mestrado em Teoria Literária) - Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 2015.

Downloads

Publicado

2018-07-11

Como Citar

Wadi, Y. M., & dos Santos, D. L. (2018). “O que é normal e o que é louco?” A vida com transtorno bipolar na autobiografia em quadrinhos Parafusos de Ellen Forney. Revista Eletrônica Da ANPHLAC, (24), 281-318. https://doi.org/10.46752/anphlac.24.2018.2948