De uma margem à outra: rios, mapas e fronteiras na bacia platina (séculos XVI-XVIII)

Autores

  • Tiago Bonato UNIOESTE

DOI:

https://doi.org/10.46752/anphlac.26.2019.3350

Resumo

O amplo território percorrido pelos rios platinos e seus tributários configurava, nos séculos XVI e XVII, um imenso triângulo entre as vilas de São Vicente, no litoral sudeste da América portuguesa; Buenos Aires, na foz do estuário; e Assunção, no interior do continente, às margens do rio Paraguai. Desde os primeiros mapas e relatos quinhentistas, esse espaço foi predominantemente descrito e mapeado  como um emaranhado de rios, um espaço que variou de península à mesopotâmia de terras quase ausentes, figurando no mais das vezes como via de acesso – desconhecida, misteriosa e por vezes mítica – ao interior do continente. Durante grande parte do período colonial, a região foi também fronteira mais ou menos indefinida dos impérios ibéricos na América. A partir das discussões recentes da historiografia da cartografia, da análise concomitante de mapas espanhóis e portugueses e, em outra escala de observação, da documentação escrita produzida no período, o objetivo do artigo é entender a dinâmica das fronteiras naquele território. A hipótese levantada é de que a utilização dos rios, percorridos como caminho pelos diversos atores sociais, ou cartografados nos mapas imperiais, parece ser uma das chaves para o entendimento das fronteiras que, nesse caso, são de diferentes naturezas: fronteiras entre os impérios ibéricos bem como fronteiras entre o mundo europeu e indígena e entre o conhecido e o desconhecido.

Palavras chave: história da cartografia; fronteira; Impérios ibéricas na América.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Fontes Manuscritas

AGI, PATRONATO, 294, N.14;

AGI, PATRONATO, 48, R.14;

AGI, PATRONATO, 29, 19;

AGI, CHARCAS, 27;

AGI, PATRONATO, 29, R.32;

Fontes impressas

Annaes do Museu Paulista, Tomo Primeiro. São Paulo: Officina do Diário Oficial, 1925.

Bandeirantes no Paraguai. Século XVII. (Documentos Inéditos). São Paulo: Divisão do Arquivo Histórico/Prefeitura do Município de São Paulo, 1949.

Carta de Luis Raminez a su padre desde el Brasil (1528): orígenes de lo ‘real maravilhoso’ em el Cono sur. Introducción, edición, transcripción y notas Juan Francisco Maura. Coleção Textos de la revista Lemir. 2007. Disponível em: . Acesso em 13 de julho de 2016.

Diário da Navegação da armada que foi à Terra do Brasil, em 1530, sob a capitania-mor de Martin Affonso de Souza, escripto por seu irmão Pero Lopes de Souza, publicado por Francisco Adolfo de Varnhagen. Lisboa: Typographia da Sociedade Propagadora dos Conhecimentos Uteis, 1839.

HERRERA, Antonio de. Descripcion de las Indias Ocidentales (1601). Madri: Oficina Real de Nicolas Rodriguez Franco, 1730.

Relacion de Hernando de Ribera [1545]. Revista del Instituto paraguayo, Ano IV, n.36, pp. 419-434, 1902.

SCHMIDEL, Ulderico. Viage al Rio de La Plata y Paraguay. Introdução de Pedro de Angelis. Buenos Aires: Imprenta del Estado, 1836.

Bibliografia

BONATO, Tiago. Articulando escalas: cartografia e conhecimento geográfico da Bacia Platina (1515-1628). 354f. Tese (Doutorado em História) – Departamento de História, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2018.

BOXER, Charles. Salvador de Sá e a luta pelo Brasil e Angola, 1602-1686. [1.ª ed. 1952] São Paulo: Companhia Editora Nacional, Editora da Universidade de São Paulo, 1973.

CANABRAVA, Alice Piffer. O comércio português no Rio da Prata: 1580-1640. [1.º ed. 1944] Belo Horizonte: Editora Itatiaia; São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1984.

CAVENAGHI, Airton José. A construção da memória historiográfica paulista. Dom Luiz de Céspedes Xeria e o mapa de sua expedição de 1628. Anais do Museu Paulista. São Paulo. v.19, n.1, pp. 81-109, jan.- jun. 2011.

CINTRA, J., BEIER, J. R., RABELO, L. Affonso de Taunay e as duas versões do mapa de D. Luis de Céspedes Xeria (1628). Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material, vol.26, pp.1-53, 2018.

CONRAD, Joseph. No coração das trevas. São Paulo: Editora Landmark, 2011.

CORTESÃO, Armando; MOTA, Avelino Teixeira. Portugaliae Monumenta Cartographica, vol.1. Lisboa: Imprensa Nacional, Casa da Moeda, 1987.

CORTESÃO, Jaime. História do Brasil nos velhos mapas. Tomo 1. Brasília: Ministério das Relações Exteriores, Instituto Rio Branco, s/d [1957].

CORTESÃO, Jaime. A fundação de São Paulo, capital geográfica do Brasil. Rio de Janeiro: Livros de Portugal, 1955.

CERTEAU, Michel de. A escrita da história. Rio de Janeiro: Forense, 2013.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano. Petrópolis: Editora Vozes, 2008.

FEBVRE, Lucien. O Reno. Histórias, mitos e realidades. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.

GRUZINSKI, Serge. La colonizacion de lo imaginario. Sociedades indígenas y occidentalización en el México español. Siglos XVI-XVIII. México: Fondo de Cultura Económica, 2000.

HARLEY, John Brian. La nueva naturaleza de los mapas. Ensayos sobre la história de la cartografia. México: Fondo de Cultura Ecocómica, 2005.

HERZOG, Tamar. Frontiers of possession Spain and Portugal in Europe and the Americas. Massachusetts: Harvard University Press, 2015

KANTOR, Íris. Usos diplomáticos da ilha-Brasil, polêmicas cartográficas e historiográficas. Varia História, Belo Horizonte, vol.23, n.37, pp.70-80, Jan/Jun 2007.

KOK, Glória. Vestígios indígenas na cartografia do sertão da América portuguesa. Anais do Museu Paulista. São Paulo, vol.17, n.2, pp.91-109, jul-dez 2009.

LEPETIT, Bernard. Por uma nova história urbana. Seleção de textos, revisão crítica e apresentação Heliana Angotti Salgueiro. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2001.

LOIS, Carla. Mapas para la nación. Episódios en la historia de la cartografia argentina. Buenos Aires: Editoral Biblos, 2014.

MARTÍN-MERÁS, Luisa. Cartografia marítima hispana. La imagem de América. Madrid: Lunwerg for Ministerio de Obras Públicas, Transportes y Medio Ambiente, 1992.

MORAES, Antônio C.R. de. O Sertão: um outro geográfico. Terra Brasilis [Online], vol. 4-5, 2003, pp.1-8.

MORAES, Antônio C.R. de. Território, região e formação colonial. Apontamentos em torno da Geografia Histórica da Independência Brasileira. In: CARBÓ, Eulalia Ribera; VARGAS, Hector Mendoza; MARTÍN, Pere Sunyer (coords). La integración del territorio en una idea de Estado. Mexico y Brasil, 1821-1946. Mexico: UNAM-Instituto de Geografia; Instituto de Investigaciones Dr. José María Luis Mora, 2007.

NOWELL, Carles E. Aleixo Garcia and the White King. The Hispanic American Historical Review. Durham, vol.26, n.4, pp.450-466, 1946.

O’GORMAN, Edmundo. A invenção da América. São Paulo: Editora da Universidade Estadual Paulista, 1992.

OLARTE, Mauricio. Las máquinas dei império y el reino de Dios: reflexiones sobre ciência, tecnologia y religion en el mundo atlântico del siglo XVI. Bogotá: Ediciones Uniandes, 2013.

PADRON, Ricardo. The spacious word: cartography, literature, and empire in early modern Spain. Chicago: University of Chicago Press, 2004.

RIBEIRO, David. W. A. Cartografia das relações: as condições da produção intellectual e os percursos da escrita histórica de Jaime Cortesão no Brasil (1940-1957). 260 p. Dissertação (Mestrado em História Social) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.

ROSA, Guimarães. Primeiras estórias. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001.

SANTOS, Milton. Por uma geografia nova. [Primeira edição: 1978] São Paulo: Edusp, 2002.

SEED, Patricia. Cerimônias de Posse na Conquista Européia do Novo Mundo (1492-1640). São Paulo: Editora UNESP, 1999.

TAUNAY, Affonso. Na era das bandeiras. Estudos de história colonial paulista. Revista do Instituto Histórico e Geográfico brasileiro. Rio de Janeiro, t. 84, 385-531, 1919.

VEGA, Alejandra. Los andes y el território de Chile en el siglo XVI. Descripión, reconocimiento e invención. Santiago: Direccion de Bibliotecas Archivos y Museos, 2014.

VILARDAGA, José Carlos. São Paulo na órbita do Império dos Felipes: conexões castelhanas de uma vila da América portuguesa durante a União Ibérica (1580-1640). 398 f. Tese (Doutorado em História) – Departamento de História, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

Downloads

Como Citar

Bonato, T. (2019). De uma margem à outra: rios, mapas e fronteiras na bacia platina (séculos XVI-XVIII). Revista Eletrônica Da ANPHLAC, (26), 198-229. https://doi.org/10.46752/anphlac.26.2019.3350