Experiências negras no Atlântico: relações raciais de gênero e classe. Diálogos possíveis entre Norte e Sul (1900-1920)

Autores

  • Luara dos Santos Silva UFF

DOI:

https://doi.org/10.46752/anphlac.27.2019.3447

Resumo

Resumo: O objetivo deste artigo é discutir as experiências de homens e mulheres negras nas cidades do Rio de Janeiro e de Nova York em fins do século XIX e primeiras décadas do XX. Procuro explorar as trajetórias dos intelectuais Coema Hemetério dos Santos, Hemetério José dos Santos, Jessie Redmon Fauset e Willian Edward Buchardt Du Bois, colocando em diálogo suas experiências. A despeito das fronteiras geográficas e nacionais, alguns elementos foram comuns a tais sujeitos: racialização, racismo, busca por cidadania e inclusão, domínio e uso massivo da cultura letrada – dentre outros. De diferentes maneiras e proporções, esses quatro intelectuais atuaram na literatura, no magistério, na música e nas artes em geral. Os periódicos produzidos em ambas as cidades nos possibilitam acessar os caminhos percorridos por esses homens e mulheres, descortinando redes de sociabilidade e nos permitindo problematizar as relações raciais, de gênero e de classe.

Palavras-chave: experiências negras no Atlântico; relações raciais, de gênero e classe; intelectuais negros. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Referências Bibliográficas

ABREU, Martha. Da senzala ao palco: canções escravas e racismo nas Américas, 1870-1930. Campinas, SP: Editora Unicamp, 2017.

ALBERTO, Paulina. Termos de inclusão: intelectuais negros brasileiros no século XX. Tradução: Elizabeth de Avelar Solano Martins. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2017.

ALMEIDA, Silvia Capanema e SILVA, Rogério Sousa. Do (in) visível ao risível: o negro e a “raça nacional” na criação caricatural da Primeira República. Estudos Históricos, vol. 26, nº 52.

BARBOSA, Marialva. Os donos do Rio. Imprensa, Poder e Público. Rio de Janeiro: Vício de Leitura, 2000.

BRACKS Lean’Til L. & SMITH, Jessie Carney. Black women of the Harlem Renaissance Era. New York: Rowman & Littlefield, 2014.

BRASIL, Eric. Carnavais Atlânticos: cidadania e cultura negra no pós-abolição. Rio de Janeiro e Port-Of-Spain, Trinidad (1838-1920). 2016. 338 fl. Tese de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em História Social (UFF). Niterói, 2016.

BRITO, Luciana da Cruz. A “liberdade” no Atlântico Sul: o olhar da imprensa estadunidense sobre o processo de abolição da escravidão no Brasil. In: VIEIRA, Vinícius Rodrigues & JOHNSON, Jacquelyn (Orgs.). Retratos e Espelhos : Raça e Etnicidade no Brasil e nos Estados Unidos. São Paulo : FEA/USP, 2009. 431 p.

BUTLER, Kim. Defining Diaspora , Refining a Discourse. Revista Diáspora, 10:2, 2001.

COURBOLD, Claire. Becoming African Americans: Black Public Life in Harlem, 1919-1939. Massachusetts: Harvard University Press, 2009.

DANTAS, Carolina Vianna. Manoel da Motta Monteiro Lopes, um deputado negro na I República. Programa Nacional de Apoio à Pesquisa FBN/Minc, 2008.

____________________. O Brasil café com leite: mestiçagem e identidade nacional em periódicos: Rio de Janeiro, 1903-1914. Rio de Janeiro: Edições Casa de Rui Barbosa, 2010.

DOMINGUES, Petrônio. Movimento da negritude: uma breve reconstrução histórica, p.03. Mediações – Revista de Ciências Sociais, Londrina, v. 10, n.1, p. 25-40, jan.-jun. 2005.Disponível:www.uel.br/revistas/uel/index.php/mediacoes/article/download/2137/2707. Acesso em 23/08/2017, às 11hrs.

____________. A “Vênus Negra”: Josephine Baker e a modernidade afro-atlântica. Est. Hist., Rio de Janeiro, vol. 23, nº 45, pp. 95-124, janeiro-junho de 2010, p.113. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/eh/v23n45/a05v2345.pdf. Acesso em: 01/09/2017, às 10h00minhrs.

FAUSET, Jessie Redmon. Manifesto to the League of Nations. Revista The Crisis, New York, vol.23, nº 01, novembro de 1921, pp. 18-19.

GILROY, Paul. O Atlântico Negro: modernidade e dupla consciência. Tradução de Cid Knipel. 2ª Edição. São Paulo: Editora 34; Rio de Janeiro: Universidade Candido Mendes, Centro de Estudos Afro-Asiáticos, 2012.

GUIMARÃES, Antonio Sergio Alfredo. Intelectuais Negros e a modernidade no Brasil, p.01,02.Disponívelem:http://www.fflch.usp.br/sociologia/asag/Intelectuais%20negros%20e%20modernidade%20no%20Brasil.pdf. Acesso em: 01/09/2017, às 19h10minhrs.

MATTOS, Hebe Maria. Escravidão e cidadania no Brasil monárquico. 2ª ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2004.

MÜLLER, Maria Lúcia Rodrigues. A cor da escola – imagens da Primeira República, p.92. Cuiabá, MT: Entrelinhas/EdUFMT, 2008.

SANTOS, Aderaldo Pereira. Arma da educação: cultura política, cidadania e antirracismo nas experiências do professor Hemetério José dos Santos. 2019. 429 f. Tese de Doutorado. Programa de Pós- Graduação em Educação (UFRJ). Rio de Janeiro, 2019.

SEIGEL, Micol. Beyond Compare: Comparative Method after the Transnational Turn. Radical History Review, v. 2005, n. 91, p. 62–90, 2005.

SILVA, Luara dos Santos. 2015. 152 f. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Relações Étnico-Raciais (PPRER/CEFET-RJ). Rio de Janeiro, 2015.

XAVIER, Giovana. Brancas de almas negras? : beleza, racialização e cosmética na imprensa negra pós-emancipação (EUA, 1890-1930). 2012. 464 f. Tese de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em História (Unicamp/SP). Campinas, 2012.

Downloads

Publicado

2019-12-27

Como Citar

Silva, L. dos S. (2019). Experiências negras no Atlântico: relações raciais de gênero e classe. Diálogos possíveis entre Norte e Sul (1900-1920). Revista Eletrônica Da ANPHLAC, (27), 66-102. https://doi.org/10.46752/anphlac.27.2019.3447

Edição

Seção

Dossiê