Cien años de soledad: a Macondo-América de Gabriel García Márquez como representação do continente latino-americano.

Autores

  • Felipe de Paula Góis Vieira Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

DOI:

https://doi.org/10.46752/anphlac.12.2012.1338

Resumo

O livro Cien años de soledad – escrito pelo autor colombiano Gabriel García Márquez – foi lançado como romance, pela primeira vez, em 1967. Desde então, inúmeras reedições somaram mais de 50 milhões de exemplares vendidos em 36 idiomas diferentes. O sucesso imediato da obra transformou García Márquez em um dos intelectuais mais reconhecidos e requisitados do continente. Além disso, difundiu uma ideia amplamente aceita e promovida pelos literatos do período de que Macondo, a cidade fictícia do romance, seria reflexo direto – ou, até mesmo, o perfeito retrato – da América Latina. O artigo tem por objetivo analisar as representações sobre o continente latino-americano dentro da obra. A intenção é buscar qual América constrói e descarta o escritor colombiano ao fundar o seu microcosmo urbano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe de Paula Góis Vieira, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

Graduado e Mestre em História Cultural pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) - IFCH Departamento de História. Atualmente, curso o Doutorado na mesma instituição.

Downloads

Publicado

2012-12-04

Como Citar

Vieira, F. de P. G. (2012). Cien años de soledad: a Macondo-América de Gabriel García Márquez como representação do continente latino-americano. Revista Eletrônica Da ANPHLAC, (12), 254-279. https://doi.org/10.46752/anphlac.12.2012.1338