Esta é uma versão desatualizada publicada em 2020-12-16. Leia a versão mais recente.

A batalha entre a liberdade e a tirania: Revolução Cubana, guerra de guerrilhas e o desenvolvimento da Doutrina de Contrainsurgência norte-americana nos anos 1960

Autores

  • Pâmela de Almeida Resende USP

DOI:

https://doi.org/10.46752/anphlac.29.2020.3914

Palavras-chave:

Estados Unidos, América Latina, Revolução Cubana, Guerra de guerrilhas, Contrainsurgência

Resumo

O objetivo central deste artigo é analisar a construção e o desenvolvimento das políticas produzidas no âmbito do governo dos Estados Unidos para a América Latina, sobretudo a partir da década de 1960. Tal escolha justifica-se pelo interesse em compreender as ações desenvolvidas para combater os movimentos guerrilheiros que se faziam atuantes nos países latino-americanos, além da influência e do impacto da Revolução Cubana nesse processo. A criação de programas de ajuda externa, com destaque para a Aliança para o Progresso, aliada ao desenvolvimento da Doutrina de Contrainsurgência, ambas no governo de John F. Kennedy, nos parece fundamental para a compreensão das estratégias adotadas pelos Estados Unidos na sua política de contenção do avanço comunista na região.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Fontes

Cuba: White Paper, April1961

National Security Action Memorandum 88 (NSAM 88). Washington, September 5, 1961. U.S. DEPARTMENT OF STATE.FRUS, 1961-1963. vol. XII, American Republics. Washington, D.C., 1996.

National Security Action Memorandum (NSAM) 182: Counterinsurgency Doctrine, August, 24, 1962

U.S. Department of the Army, Operations Against Irregular Forces, FM 31-15, May 1961

U.S. Department of the Army, Civil Affairs Operations, FM 41-10, October 1969

U.S. Department of the Army, Counterguerrilla Operations, May 1970

U.S. Department of the Army, Counterinsurgency Operations, October 2004

U.S. Department of the Army, Counterinsurgency, December 2006

U.S. Department of the Army, Army Special Operations Forces Unconventional Warfare, September 2008

U.S. Department of the Army, Tactics in Counterinsurgency, April 2009

Bibliografia

ARENDT, Hannah. “Da Violência”. Crises da República. São Paulo: Perspectiva, 2010.

AYERBE, Luis Fernando. A Revolução Cubana. São Paulo: Editora Unesp, 2004.

AZEVEDO, Cecilia. “O sentido de missão no imaginário político norte-americano”. Revista de História Regional 3(2), 77-90, 1998.

BAMBIRRA, Vânia. A revolução cubana: uma reinterpretação. Brasil: Ed. Centelha, 1973.

BARÃO, Carlos Alberto. “A influência da Revolução Cubana sobre a esquerda brasileira nos anos 60”. In: MORAES, João Quartim de; REIS FILHO, Daniel Aarão (orgs). História do Marxismo no Brasil – Volume I: o impacto das revoluções. Campinas: Editora da Unicamp, 2003.

BOOTH, W. “Rethinking Latin America’s Cold War”. The Historical Journal, 2020, 1-23.

BLAUFARB, Douglas S. The Counterinsurgency Era: Doctrine and Performance, 1950 to the Present. New York: The Free Press, 1977.

CANCELLI, Elizabeth. O Brasil na guerra fria cultural: o pós-guerra em releitura.São Paulo: Intermeios, 2017.

CASSIDY, Robert M. Counterinsurgency and the Global War on Terror: Military Culture an Irregular War. Stanford University Press, 2008.

DEBRAY, Regis. Revolução na Revolução.Havana: Casa de lasAmericas, 1967

FANON, Frantz. Os condenados da terra. Juiz de Fora: Editora UFJF, 2005.

GALULA, David. Counterinsurgency Warfare: Theory and Practice.Praeger Security International. 1964.

GILMAN, Nils. Mandarins of the Future: Modernization Theory in Cold War America. Baltimore: John Hopkins University Press, 2003.

GOTT, Richard. Guerrilla movements in Latin America.Seagull Books, 2008.

GUEVARA, Che. A guerra de guerrilhas. São Paulo:Edições Populares, 1982.

GUEVARA, Ernesto Che. “Mensagem a Tricontinental”, 1967. In: LOWY, Michael (org.). O marxismo na América Latina: uma antologia de 1909 aos dias atuais. São Paulo: Expressão Popular: Perseu Abramo, 2016.

HARMER, Tanya. “Two, Three, Many Revolutions? Cuba and the Prospects for Revolutionary Change in Latin America, 1967-1975”. Journal of Latin American Studies 45, no.1 (2013): 61- 89

HOBSBAWM, Eric. Viva larevolución: a era das utopias na América Latina. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

HUGGINS, Martha. Polícia e política: relações Estados Unidos – América Latina. São Paulo: Cortez, 1998.

HUNTINGTON, Samuel. A Ordem Política nas Sociedades em Mudança. Rio de Janeiro: Forense Universitária; São Paulo: Ed. Universidade de São Paulo, 1975.

JOSEPH, Gilbert M.; SPENSER, Daniela (orgs.). In from the Cold. Latin America’s new encounter with the Cold War. Duke University Press, 2008.

JOSEPH, Gilbert. M. Border crossings and the remaking of Latin American Cold War Studies, Cold War History, 19:1, 141-170, 2019.

KATCHATUROV, Karen Armenovitch. A expansão ideológica dos EUA na América Latina: doutrinas, formas e métodos da propaganda dos EUA. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1980.

KAUFFMAN, Andrew. “On ‘Wars of National Liberation’”. In: Military Review, n. 48, October 1968

LATHAM, Michael. Modernization as Ideology: American Social Science and “Nation Building” in the Kennedy Era. Chapel Hill: University of North Carolina Press, 2000.

LONG, Austin. On “other war”: lessons from five decades of RAND counterinsurgency research. Santa Monica: Rand Corporation, 2006.

MARLOWE, Ann. David Galula: his life and intelectual context.Carlisle. Strategic Studies Institute, U.S. Army War College, 2010

MARTINS FILHO, João Roberto. “Os Estados Unidos, a Revolução Cubana e a contra-insurreição”. Revista de Sociologia e Política da Universidade Federal do Paraná. Curitiba, n. 12, 1999.

McCLINTOCK, Michael. Instruments of Statecraft: U.S. Guerrilla Warfare, Counterinsurgency and Counterterrorism, 1940-1990. Pantheon Books, 1992.

MONIZ BANDEIRA, Luiz Alberto. De Martí a Fidel: a Revolução Cubana e a América Latina. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2012.

MUNHOZ, Sidnei J. Imperialismo e Anti-Imperialismo, Comunismo e Anti-Comunismo durante a Guerra Fria. Revista Esboços, Florianópolis, v. 23, n. 36, p. 452-469, fev. 2017.

PORTANTIERO, Juan Carlos. “O marxismo latino-americano”. In: HOBSBAWN et al. História do Marxismo.Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1991.

PRASHAD, Vijay. The Darker Nations: a people’s history of the Third World. The New Press, New York, 2007.

QUADRAT, Samantha Viz. A preparação dos agentes de informação e a ditadura civil-militar no Brasil (1964-1985). Varia Historia, vol. 28, n. 47, pp. 19-41: jan/jun, 2012.

REGINATTO, Ana Carolina. “‘O fim da primavera’ no país da ‘eterna tirania’: o golpe de 1954 e a ruptura do projeto democrático na Guatemala”. In: GRINBERG, Lucia; ARAÚJO, Maria Paula Nascimento; QUADRAT, Samantha Viz (orgs). 50 anos do golpe: debates discentes. Niterói: PPGH/UFF, 2016.

ROSENAU, William. “The Kennedy Administration, U.S. Foreign Internal Security Assistance and the Challenge of ‘Subterranean War’, 1961-1963”. Small Wars & Insurgencies, Vol. 14, N. 3, 2003, pp. 65-99.

ROSTOW, Walt. The Stages of Economic Growth; a Non-Communist Manifesto.Cambridge University Press, 1960.

SALES, Jean Rodrigues. O impacto da Revolução Cubana sobre as organizações comunistas brasileiras (1959-1974).Tese (Doutorado em História) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, 2005

SAUNDERS, Frances Stonor. Quem pagou a conta? A CIA na Guerra Fria da Cultura. São Paulo: Record, 2008.

SCHLESINGER, Arthur. Mil dias. John F. Kennedy na Casa Branca.Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1966.

SCHOULTZ, Lars. Estados Unidos: poder e submissão. Uma história da política norte-americana em relação à América Latina.Bauru/SP: EDUSC, 2000

SCHWAB, Orrin. Defending the Free World: John F. Kennedy, Lyndon Johnson and the Vietnam War, 1961-1965. Greenwood Publishing Group, 1998.

SILVA, Izabel Priscila Pimentel da. “Por ti, América”: Luta Armada, Internacionalismo e Latino-Americanismo na trajetória da Junta de Coordinación Revolucionaria.Tese de Doutorado. Niterói: UFF, 2016

TRINQUIER, Roger. Modern Warfare: a French view of counterinsurgency. Pall Mall Press, 1961.

VEGA, Louis Mercier. Guerrillas in Latin America: the technique of the Counter-State. Praeger, 1969.

VICK, Alan J; GRISSOM, Adam; ROSENAU, William; GRILL, Beth; MUELLER, Karl P. “The Challenge of Counterinsurgency: lessons from the Cold War and After”. In: Air Power in the New Counterinsurgency Era.Rand Corporation, 2006.

WESTAD, Odd Arne. Reviewing the Cold War: Approaches, Interpretations, Theory. Frank Cass, 2000.

WESTAD, Odd Arne. The Global Cold War: Third World Interventions and the Making of Our Times. Cambridge University Press, 2007.

Downloads

Publicado

2020-12-16

Versões

Como Citar

de Almeida Resende, P. . (2020). A batalha entre a liberdade e a tirania: Revolução Cubana, guerra de guerrilhas e o desenvolvimento da Doutrina de Contrainsurgência norte-americana nos anos 1960. Revista Eletrônica Da ANPHLAC, 20(29), 318-343. https://doi.org/10.46752/anphlac.29.2020.3914